terça-feira, 6 de março de 2012


É tarde
você está sozinha
e não há ninguém com você
apenas seus pensamentos...
A escuridão toma conta de todos os lugares ao seu redor...
Pela primeira vez
você se sente totalmente em paz
mas pela milésima vez
totalmente triste e melancólica...
Você se faz perguntas
E o silêncio é a única tentativa de resposta...
Não há mais nada
apenas você
jogada em um quarto escuro...
Seus braços sangram
você tenta esquecer toda a dor
não de seus próprios cortes,
mas de seus sentimentos...
Mas toda tentativa é em vão
você não consegue ficar um único momento
sem pensar em sua maldita vida
algo que já começou errado
não haveria mesmo de ir bem...
Como num filme
você volta a cada fato importante de sua vida
e percebe que seu destino anda em círculos
coisas ruins indo e voltando...
e que é algo que não tem mais como reverter...
Não seria melhor então acabar com tudo isso?
Com todo esse ciclo de coisas negativas
que só atrapalham os poucos momentos
que você consegue ter de felicidade?
Tudo que ainda existia de bom,
se foi...
Por algo que não terá futuro
e um presente incerto...
Você pensa então:
Por que não fugir de tudo isso?
Mas a insegurança te persegue
e você já não tem certeza de mais nada.
Nem mesmo da vida
Se é que ela um dia existiu pra você...

Saudade.

Sinto o doce toque de tuas cristalinas lagrimas sobre o meu tumulo. Dos meus olhos deslizam lagrimas de sangue, pois choro a mesma saudade.
Tuas mãos quentes tocam minha lápide, Meu corpo frio é inerte a teus movimentos.
O rubor está em teu vivo rosto, porque choras? A palidez toma conta de minha pele, porque eu morri?
A luz do sol toca em teu rosto, tens que ir... A tua sombra cobre meu jovem corpo, sentirei saudades sem fim.

Ainda existe ir embora. Mas da onde? Eu sempre querendo ir embora. Mas pra onde? Quero um colo  quente e um ombro que nunca conheci. Não é de homem, de amor, de força. O que é isso? Um enjoado que não faz passar mal. Um frio que não precisa de agasalho. Uma necessidade absurda de ir para um lugar que eu nem imagino qual seja. Uma saudade de vida inteira como se eu já tivesse vivido. Uma coisa enorme e ao mesmo tempo concentrada naquela picadinha de inseto atrás do meu joelho que incha e incomoda do tamanho do mundo. Uma angústia que estremece até aqueles cantos da gente que a gente passa batido. Uma coisa de cantos e não de peitos. Mas que acaba com o oxigênio.

Não quero que passe.



Eu choro e ouço todos dizendo passa, que vai passar. Mas esse é o problema, não quero que passe. Quero ser tua, quero que você seja meu. Quero poder sempre te amar e ouvir o quanto sou amada, quero poder acordar com você me enchendo de beijo ou simplesmente acordar pra ver  você dormindo. Mas do meu lado, eu quero você do meu lado . Será que ninguém entende? Tudo bem, tem até uns carinhas legais me procurando por aí, mas nenhum deles sequer tem a capacidade de se parecer um pouquinho com você. Nenhum deles lembra seu jeito doce de encarar a vida e de me acalmar. Nenhum deles me faz rir como você faz. Agora vocês me entendem? Agora sabem porque eu choro? Porque não quero que passe.
Depois de estar com você, de sentir teu cheiro, tua pele, encostar a mão no seu rosto, ouvir coisas banais, enroscar meus dedos em seus cabelos, enfim, de sentir você, eu tenho, tive e sempre terei absoluta certeza de que eu não quero que você saia da minha rotina. Permaneça sempre, por favor.

São tristes as manhãs que prometem mais um dia sem ele, são tristes as noites que cumprem a promessa. É triste amar tanto e tanto amor não ter proveito. Tanto amor querendo fazer alguém feliz. Tanto amor querendo escrever uma história, mas só escrevendo este texto amargurado. É triste saber que falta alguma coisa e saber que não dá pra comprar, substituir, esquecer, implorar. Mas amor, você sabe, amor não se pede. Amor se declara: sabe de uma coisa? Ele sabe, ele sabe.

Assim como nos sonhos...

Eu queria tanto poder te dar um colo, de verdade sabe? Poder passar um dia todinho com você, poder rir contigo, falar coisas idiotas só para te ver sorrir, cantar sua música favorita mesmo fora do tom, assistir um filme com você, falar bobagem, falar sobre nada. Não falar, ficar em silêncio contigo e depois puxar assunto e te fazer rir de novo, queria tirar uma foto contigo, uma foto que com certeza se tornaria a minha favorita, queria tanto poder te ter do meu lado, nem que fosse por alguns minutos, assim como nos meus sonhos, quero ter certeza de que você existe, de que não é uma ilusão da minha mente, quero te ter por perto, para assim poder ter certeza de que você é meu e eu sou teu anjo, como você é o meu.
Me vejo tão dependente de você. Como pode? Já tentei por vezes te esquecer, mas eu não esqueço nunca; parece praga! Estou tão dependente de ouvir tua voz, sentir você pertinho de mim. E sim, eu sei que é insuportável ter que me aguentar com toda essa melo dramaticidade. Mas eu preciso que saiba e entenda, o quanto eu amo você.

O tempo!

Faz um tempo que não escrevo, mas hoje me deu uma vontade imensa de vir aqui, e falar tudo. Sabe quando você está explodindo? quando não sabe mais o que fazer com seus pensamentos? quando nem você mesma se aguenta? Pois é, isso acontece para todos, pelo menos uma vez na vida. E dói, a gente ''alivia'' a dor contando aos outros nossos problemas, e quando não tem outros pra te ouvirem? Escreve no blog, mesmo que ninguém leia.
O “Eu te amo!” generaliza tudo o que há de bom e ti, mas gosto de detalhes, que dão o tom do verdadeiro em tal frase. Então… eu te amo! Amo teu cabelo, amo o jeito que me faz rir, amo teus olhos, amo-te da cabeça aos pés, amo teu sorriso, amo teu cheiro! Te amo porque sem ti, sou apenas eu! Tu me completas, entendeu?